Ícone do site The Journal of Africa

Macky Sall se encontra com Vladimir Putin em meio à escassez de alimentos

União Africana

Nesta quinta-feira, Macky Sall, presidente da União Africana, voou para se encontrar com Vladimir Putin na Rússia. No centro das discussões, a escassez de cereais no continente.

Nesta quinta-feira, Macky Sall voou, acompanhado de Moussa Faki Mahamat, presidente da Comissão da União Africana (UA), para a Rússia. Em Sochi, o Chefe de Estado senegalês e o antigo Primeiro-Ministro do Chade vão representar a UA durante um encontro com Vladimir Putin. A questão das exportações de cereais será um dos temas das discussões entre os presidentes. Uma visita que está agendada desde a chegada ao Senegal do chanceler alemão Olaf Scholtz.

Oficialmente, “queremos a paz, estamos trabalhando por um cessar-fogo”, diz Macky Sall, que explica que “essa é a posição africana”. Uma missão que promete ser delicada, pois a África se cala diante da situação na Ucrânia. Várias votações na ONU mostraram posições diferentes dependendo do país, e mesmo às vezes dependendo do momento, alguns Estados mudando de tom com o passar do tempo.

Se Macky Sall disser que quer “carregar a voz da África”, terá que agir como um bom diplomata. No início de março passado, o novo presidente da UA já havia telefonado para Putin para lhe dizer que “a África, que se encontrava entre uma rocha e um lugar duro, queria um cessar-fogo na Ucrânia”. Acima de tudo, continuou, “o continente é afetado pelas consequências da própria guerra, bem como pelas sanções que atingiram a Rússia”.

Hidrocarbonetos, cereais e fertilizantes

“Na época, Vladimir Putin indicou que estava pronto para discutir com os ucranianos. Mas podemos ver que não é fácil, admite Macky Sall. Após o convite do presidente russo para ir a Moscou, a UA me deu um mandato para pedir a cessação das hostilidades, bem como a possibilidade de permitir que a Ucrânia e a Rússia exportem cereais e matérias-primas de que o mundo precisa".

Este é, em última análise, o objetivo da visita de Macky Sall à Rússia: impedir que a escassez de alimentos na África tome proporções irreversíveis, após dois anos marcados pela pandemia de Covid-19. Além dos cereais, o aumento dos preços dos hidrocarbonetos e a falta de fertilizantes são outras duas consequências do conflito russo-ucraniano.

Um verdadeiro teste - sem dúvida o principal - para o atual presidente da UA. Durante a votação da resolução da ONU condenando a Rússia, o Senegal se absteve. Macky Sall, portanto, chega como amigo na Rússia. Especialmente porque em 2021, Dakar estava na pole position para sediar a cúpula Rússia-África este ano.

Saia da versão móvel